terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Feliz Ano Novo a todos os amigos do blog

Que 2011 venha cheio de saúde, paz e felicidade!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Feliz Natal a todos os amigos do blog


Que seja uma noite de paz ao lado da família. Ro...Ro...Ro!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Difícil será não ver mais

Este craque nas pistas

Não sei se resta mais alguma coisa para escrever sobre este cavalo fantástico. Aqui mesmo, no tópico que abre a coluna, ele foi personagem em diversas oportunidades. Quem gosta de cavalos de corrida (me incluo na lista) se emociona ao ver um corredor de tamanha valentia. Categoria tem de sobra e, segundo o mestre Guignoni, uma saúde de ferro, uma vez que desde potro sequer teve uma tosse. Obter 14 vitórias, das quais 12 na esfera clássica, ganhar um Derby e passear por distâncias diversas, não é para qualquer um. Chegar aos 6 anos e passar por cima de máquinas como Sal Grosso, Another Xhow e companhia, é coisa de fenômeno. Sou fã de carteirinha deste cavalo e me emociono quando narro suas corridas. Parece que vai encerrar a campanha (ainda não está definido). Se isso realmente acontecer, será triste não vê-lo mais nas pistas e restará a lembrança de ter testemunhado uma campanha tão magnífica. É meu caro Time For Fun, valeu pelas alegrias e pelos momentos de emoção.

Talk Back mostra categoria e fatura milha clássica

Cavalo em franca evolução, o castanho Talk Back venceu com autoridade o Clássico Júlio Cápua, em 1.600 metros, grama macia, uma das atrações da corrida do último domingo no Hipódromo da Gávea. Muito bem conduzido por Marcelo Cardoso, o defensor do Stud Chreem passou como um foguete pelos adversários e ganhou com firmeza, assinalando excelente tempo para o percurso. Apresentação perfeita de Alvaro Castillo, que mantém o filho de Confidential Talk em grande forma. Davignon foi bom segundo colocado e Kito Hope o terceiro. Parece definitivo que na grama, o defensor de Sergio Barcellos não é o mesmo. Nesta prova, em pista de areia, teria vencido sem esforço, não tenho dúvida. Na areia é máquina, mas na grama fica na relação de bons corredores.

Nova geração estréia na Gávea em grande estilo

Muita expectativa no último sábado, na Gávea, para a estréia da nova geração. Potros e potrancas de 2 anos participaram de carreiras em 1.000 metros, grama. Na Prova Especial Licínio Salgado, para fêmeas, uma surpresa. Enquanto Desejada Tóta, do Stud Alvarenga, foi eleita favorita, quem deu as cartas foi Licca-Chan, do Haras São José da Serra, direção de Rodrigo Salgado e apresentação sempre perfeita de mestre Gugnoni. Venceu com firmeza mostrando qualidade. Na Prova Especial Atualpa Soares, para os machos, a surpresa foi bem menor. Cantado em prosa e verso como barbada, Toss A Buck mostrou velocidade incomum e impôs um train forte. No entanto, Fita Azul, credenciado por um treino fantástico, realizado na Gávea, mostrou categoria e, bem dirigido por Jefferson Coelho, alcançou o favorito e venceu com autoridade em ótimo tempo. De propriedade do Stud Santa Tereza, foi muito bem apresentado por André Silveira.

Os mesatenistas chineses devem ter vibrado

Os fiéis amigos que acompanham o blog, ao ler este título devem estar pensando "o cara enlouqueceu de vez". Mas não estou maluco, meio doido talvez, mas louco, nunca. Vou explicar, Em fevereiro deste ano aconteceu o aberto do Kwait de Tênis de Mesa (se chamar de ping pong eles dão porrada) e a final foi disputada pelos chineses Xu Xin e Ma Lin, com a vitória do primeiro. E daí matungão, o que é que isso tem relação com turfe? Calma, eu vou explicar. Se vocês misturarem os nomes dos dois mesatenistas o que vai aparecer? Vou repetir os nomes deles, atenção! Xu Xin e Ma Lin. Qualquer criança turfista vai matar a charada. Vai sair Xin Xu Lin...o grande herói do GP Carlos Pellegrini de 2010. Parabéns ao Estanislau, ao Antônio C.Silva (que conheço desde os tempos do Brejal) aos proprietários, ao Breno, ao Oscarzinho e à toda equipe. E à dobradinha brasileira, já que o segundo colocado também é nosso. Enfim, foi show de bola como diz o Celson Afonso. Valeu. Ah, já ia me esquecendo, o Ricardinho foi terceiro.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Guardar rancor é tomar veneno e querer que o outro morra" (Shakespeare)

Rapidinhas

Parece ter tido uma curta experência o aprendiz que veio do Mato Grosso do Sul. Adailton Nascimento Júnior não montou na semana passada por estar acima do peso. Segundo soube, será desligado da escola.

Por falar em aprendiz, Igor Gaier sofreu fratura na mão direita e ficará um tempinho fora das pistas. Justo agora quando estava em ótima fase, ganhando muitas corridas.

Nos meus quase 40 anos de turfe nunca tinha visto uma pule de 340 por 1, mas já aconteceu pule maior antes, como informou meu amigo Arthur Perdigão de Freitas. No sábado passado, Pequena Giovana, com o "Vassourinha" explodiu com esta pule.

Mauro Ferreira está de volta ao turfe, após um longo tempo afastado. Filho do saudoso Antônio Ferreira, cujo Stud Vasco Ferreira brilhou nas pistas, Muro retorna com seu Stud Roberta e Bruna. Boa sorte ao amigo.

Fim de ano chegando e lembro que, antigamente, o pessoal do turfe se empenhava ao máximo para consegui o "das castanhas". Nesta época ocorriam sempre pules altas...

A pista de grama será fechada para reformas e só voltará na terceira semana de janeiro. A nova cerca móvel também deverá estrear em breve.

Nas duas últimas semanas do ano o blog entrará em merecido recesso. Afinal, o matungão também acredita em Papai Noel. Mas semana que vem a gente ainda se encontra por aqui.

O MATUNGÃO VIBROU

Quando digo que existem emoções que só o turfe pode proporcionar, não estou falando em vão. Quem conhece o dia-a-dia da preparação de um cavalo de corrida, sabe o quanto é complicado deixar um animal em perfeitas condições para competir. Quando existem problemas então, haja paciência e um trabalho árduo. Mas quando vem a recompensa e o cavalo passa na frente, o sentimento extravasa e a emoção explode. A vitória que me fez vibrar esta semana foi a do tordilho Prodo, treinado e de propriedade de Nair Maria Heinemann da Silva. Quem conhece a Nair sabe do amor e da dedicação que tem aos seus cavalos e por esta razão, o "velho tordilho" deve tê-la enchido de alegria. Parabéns.

O MATUNGÃO E A CABINE DO AMOR

Eu fico realmente emocionado quando vejo alguma demonstração de amor verdadeiro. Sou um romântico inveterado, não tem jeito. Estava eu, tranquilo, na cabine de transmissões do JCB, na úlima sexta-feira, aguardando mais um páreo para narrar, quando aconteceu. Subitamente, pela janela, entraram duas lagartixas, juntas, me parecendo, até, estar de mãos dadas. Rapidamente (são ligeiras), se alojaram atrás de um quadro e ali ficaram. Cuidadosamente, para não atrapalhar, olhei o que acontecia e elas estavam bem juntas parecendo mesmo próximas de um beijo. Ao lado do quadro tem uma lâmpada vermelha, que me avisa quando o som externo está ligado. Pedi ao operador que a acendesse, sem ligar o som, para criar um clima. Fiquei emocionado...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Hunka Hunka e Duarte

Fazem a festa no clássico

O Clássico Armando Rodrigues Carneiro, em 1.600 metros, grama macia, foi o destaque da programação do último domingo no Hipódromo da Gávea. O que se viu na pista foi uma belíssima vitória da potranca Hunka Hunka, dirigida com a maestria de sempre de Luiz Duarte, sem dúvida alguma, um jóquei de exceção. Apresentação de Venâncio Nahid, que atravessa uma fase soberba, com toque de Midas. Mais uma conquista clássica para o Haras Doce Vale, de Alfredo Grumser. Muito boa a corrida de Rubia Street que fez o train da carreira e ainda manteve o segundo lugar. Outra corrida incrível foi a de Suck Out Queen, aquela mesma que vence, vence e ninguém acredita. Passou mais de meia reta totalmente encaixotada e ainda finalizou em ótimo terceiro lugar. A prova homenageou um dos mais abnegados e apaixonados criadores que conheci.

Neste verão uma boa pedida é o Sol de Angra

O destaque da corrida do último sábado, na Gávea, foi o Clássico Dia da Justiça, em 1.000 metros, grama macia. Reaparecendo em ótima forma e contando com direção primorosa de Marcelo Cardoso, o alazão Sol de Angra impõs sua maior categoria e venceu com autoridade, baixando de 56s com uma cerca móvel de oito metros. Apresentação nota 10 de Cláudia Cury, que substitui meu amigo Marcos Ferreira, atualmente cumprindo suspensão por causa de falta de peso num de seus defensores. Thaegen, que parece melhorar à cada apresentação, resistiu ao forte arremate de Universal Gipsy e por diferença mínima ficou com a formação da dupla. Barão de Piatã, muito fiel, foi o quarto colocado em boa apresentação. Close To Home completou o marcador.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Um momento de felicidade vale mais do que mil anos de celebridade" (Voltaire)

Rapidinhas

Uma das vitórias mais fáceis da semana foi a da estreante Datura Stramonium (lindo nome). Outra conquista a puro galope foi de outra estreante, Toujours Paris. Nos dois páreos, os que corriam em segundo devem ter sentido grande tristeza.

Mais um aprendiz foi liberado para estrear e o fez bem. Trata-se de Adailton Nascimento Junior, que veio do Mato Grosso do Sul, indicado por Marcos Mazini. Mostrou habilidade.

Corre muito a égua Una Beleza, do Haras Santa Maria de Araras, treinada por meu amigo Beto Feltran. Ganhou mais uma em Cidade Jardim, com incrível facilidade.

O "espírito da cancha reta" continua baixando todas as semanas em alguns jóqueis do turfe carioca. É impressionante as disputas alucinadas que a gente tem testemunhado. O resultado é sempre o mesmo. Os "penqueiros" fecham a raia. Só para esclarecer, não tenho nada contra as canchas retas, pelo contrário, só acho loucura em distâncias acima de 1.200 metros.

Meu amigo Luiz Urubatan Carlos está curtindo merecidas férias e volta ao trabalho lá pelo dia 23. Aí será minha vez de ficar três semanas fora do ar. Até lá, vamos "ralando" com o maior prazer.

Semana passada escrevi sobre a grande alegria que é assistir a vitória de um cavalo da gente. Mas, as vezes, mesmo numa derrota, a direção de um jóquei nos encanta. Lavor deu um show no dorso do Viejo Amigo. Vibrei como se o alazão tivesse vencido.

Vou repetir aqui uma frase que coloquei no Facebook e fez mais sucesso do que eu esperava: "Turfe é paixão...o resto é esporte".

O MATUNGÃO VIBROU

Existem certas coisas que ainda nos emocionam, mesmo que já estejamos acostumados ao longo da vida. Queria aproveitar este espaço para agradecer aos amigos que se manifestaram através do telefone, dos torpedos e das redes sociais em razão de meu aniversário, ocorrido no último dia 3. Até mesmo de pessoas que não conheço pessoalmente, recebi mensagens carinhosas. Isso é muito bom, pois nos dá satisfação de saber, que pudemos conquistar amigos no passar dos anos e pessoas que admiram nosso trabalho. Vibrei, me emocionei bastante e agradeço a todos. Recebi alguns presentes insólitos, mas prefiro não comentar. O Natal esta aí mesmo e haverá troco, sem dúvida.

O MATUNGÃO PARABENIZA

Uma das coisas mais interessantes do futebol é a encarnação entre os torcedores. As rivalidades levadas na brincadeira têm fundamental importância. Sem sacanear o torcedor rival a coisa fica sem graça. Quis Deus que meu "karma" fosse ter, entre a maioria de meus amigos, torcedores do Fluminense. Aquele talvez tenha sido o maior de todos, desde a adolescência, o saudoso Zig, foi um deles. Como tenho limites e consigo separar a gozação da ofensa pessoal (atitudes que alguns adoram) felicito os campeões. Afinal foram 26 anos de espera...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Gororoba do Ipê foi o

Prato do dia no domingo

O destaque da corrida do último domingo, no Hipódromo da Gávea foi o GP Oswaldo Aranha, do Grupo II, em 2.400 metros, grama macia. Numa reta final empolgante e em chegada de pura emoção, Gororoba do Ipê levou a melhor. Ilson Correa, para variar, esteve perfeito no dorso da tordilha, que veio por fora e dominou perto do disco. Numa embolação entre quatro competidoras, Time To Fly ficou com a formação da dupla. Hostellerie, que ficou mais de meia reta sem ter por onde passar, foi a terceira colocada. Inchatillon e Noiva Graciosa (que ponteou até os 200 finais) completaram o marcador. Apresentada em forma perfeita por Dulcino Guignoni, a tordilha alcançou a oitava vitória numa campanha de 13 apresentações.

Morena Matte só precisou galopar largo para vencer.

Outra atração na corrida de domingo, na Gávea, a Prova Especial Ricardo Xavier da Silveira, em 1.400 metros, areia macia, não teve a menor graça para oito das nove competidoras inscritas. Apresentada em magnífcas condições (estava linda no cânter), a égua Morena Matte venceu de ponta a ponta, sem dar o menor trabalho ao jóquei Luiz Duarte, que fez posição em todo percurso. Tauane, num final difícil (para a dupla) ficou com a segunda colocação. La Villette, Lady Beauty e Super Hina completaram o placar. Sem dúvida alguma, a defensora do Stud Lecca é uma das melhores corredoras de sua geração em pista de areia e do jeito que venceu, vai dar muito trabalho ano que vem.

Urcath, o mais novo alvo de um "olho clínico".

Quando acontecem os leilões de potros, cada vez mais cedo, os proprietários não criadores começam seus estudos, pedem a treinadores e veterinários que examinem e, por fim, chegam ao tattersall dispostos a "disputar" lance a lance os seus preferidos. Nem sempre se consegue adquirir o potro ou potranca alvo do desejo. Além de todos os detalhes, que envolvem filiação, conformação física entre outros, precisa-se de sorte. Um dos mais tradicionais proprietários cariocas parece ter um verdadeiro "olho clínico" em suas escolhas. A farda que já brilhou nas pistas com Time For Fun, parece fadada ao sucesso. Sábado, na Prova Especial Quiproquó, em 2.400 metros, grama pesada, Urcath deixou claro que a jaqueta ouro e preto do Stud Yatasto ainda tem muito para brilhar. Mestre Guignoni dispensa comentários e Marcelinho Almeida, na dele, vai vencendo clássicos toda semana. Parabéns aos vencedores.

Família Kranzfeld merece um corredor clássico.

Como diria Celson Afonso, o menino prodígio da equipe da TV Turfe, o matungo aqui adora entrar no "Túnel do Tempo". Mas não tem jeito, relembrar o passado é um dos meus melhores hobbies. Lembro que em 1983, quando treinava na Gávea, muito bem instalado na cocheira 2 da Vila Hípica, o amigo Daniel Kranzfeld me procurou e disse que seus jovens sobrinhos, filhos do Simon, estavam empolgados com o turfe e queriam comprar cavalos. Daniel me indicou a Alexandre e Herman. Nasceu ali o Stud Standard, com os cavalos Duduto e Del Nero, comprados num leilão paulista. O primeiro venceu uma e o outro chegou doente e morreu dias depois (ainda bem que o seguro pagou). Enfim, isso aconteceu há 27 anos. Eu parei de cuidar e eles seguiram e hoje, além do Stud Standard, formaram o Stud Força K. No sábado, Astro Di Arumba deu um show na Prova Especial Jayme Augusto Calvet de Vasconcellos, em 1.900 metros, areia macia, para a grande alegria de toda a família. Marcelinho Almeida faturou o segundo clássico do dia. Parabéns, fico muito feliz com o sucesso dos amigos.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Antes tarde do que nunca. O Rio merece ter paz" (Matungão)

Rapidinhas

Vai se casar no próximo sábado o meu amigo Vitor Lahass. A cerimônia acontecerá na Basílica Santa Terezinha do Menino Jesus, na Tijuca. A ele e Caroline toda a felicidade do mundo. Vitinho é filho do Cai Cai e como seu pai, será ótimo treinador.

Parece que tenho procuração para elogiar a Escola de Aprendizes do JCB, mas não é o caso. Trata-se apenas de uma constatação. O "time" carioca melhora toda semana. Além dos dois que têm mais montarias e conseguem melhores resultados, os demais têm vencido, demonstrando grande maturidade. Me impressionaram favoravelmente na última semana, direções dadas por Igor Gaier e Carlos Henrique. Muito bom isso.

Neste verão que começou com tudo, uma das decisões sábias da direção do JCB foi liberar o uso das bermudas. Como nas próximas semanas cobrirei as férias do amigo Luiz Carlos e narrarei nos fins de semana, já separei umas três bermudas para usar. Hehehe!

Aviso aos navegantes que não vai ter "boca livre" na próxima sexta-feira. Depois de narrar as corridas vou tomar meu chopinho no lugar de sempre e só. Apesar de muito bem vividos, não cabe fazer festa ao chegar nos 56.

Semana passada ressaltei aqui o trabalho dos veterinários, fundamentais em qualquer equipe. Aproveito agora para lembrar também do excelente trabalho realizado pela equipe do Departamento de Veterinária do JCB. Atenção, cuidado e dedicação total aos animais. Uma garantia.

Nesta mesma época, ano passado, a torcida do Flamengo sonhava com o título. Agora, após a penúltima rodada, em razão de uma combinação de resultados, o rubro-negro escapou de ir para a segunda divisão. Os erros foram muitos, a começar pela demissão do Andrade. Mas, como diz o Fábio Juppa, colega de redação, no Globo, "time grande não cai"...

A partir desta semana o blog passa a contar com o apoio de mais um importante proprietário do turfe brasileiro. Juntando-se aos Studs West Point e Amigos da Barra, nos orgulha a parceria com o Stud J.Lírio Aguiar, do comendador Zé Lírio. Obrigado!

O MATUNGÃO VIBROU

Existem emoções que só o turfe pode proporcionar. Não canso de repetir a frase do genial Chico Anysio, quando disse que "passar na frente é como dor no rim, uma coisa única". Tanto faz se for num páreo de claiming, a emoção transborda quando vence um cavalo da gente. Já passei por isso inúmeras vezes desde que comecei a ter cavalos, há muito tempo. Mas também vibro muito quando vejo o corredor de um amigo levar a melhor. Por esta razão fiquei muito feliz com a vitória da potranca Bárbara do Truc, domingo. Pertence a Sérgio Livramento, que acompanha esta alazã desde o nascimento. É um apaixonado por cavalos e merece toda esta alegria. Foi a segunda conquista da filha de Red Runner, em oito apresentações.

O MATUNGÃO "Ó XENTE"

Onde tem cavalo de corrida a emoção corre solta. Existem empregos e profissionais do turfe buscam sempre o melhor. Este fim de semana a festa foi pernambucana, com a realizão do GP Bento Magalhães, no tradicional Hipódromo da Madalena. Tenho muitos amigos por lá, entre os quais Serginho Paiva, seu pai, Gilson Alain e seu filho, Leo. Sou bom carioca, nascido em Botafogo, mas em minhas veias corre o sangue gaúcho de meu pai e nordestino, de minha mãe. O nordeste é belíssimo e é muito bom saber que o turfe está mais vivo do que nunca por lá. Istambul foi o grande vencedor do "Bentão" e, segundo fui informado, a festa foi maravilhosa no fim de semana, com corridas sábado e domingo. Qualquer hora dessas a saudade vai bater forte e passo uns dias por lá...Chega!

As fotos que contam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Loulé pode ocupar o cargo de

Suplente do craque Sanduka

Não tenho a menor dúvida em afirmar que o cavalo Sanduka é um craque em pista de areia. Além, é claro, de ter mostrado que também "se vira" muito bem no gramado. Pois para a felicidade dos titulares do Stud Dona Lúcia, outro de seus defensores vem mostrando evolução impressionante e já merece ocupar o cargo de "suplente" do filho de Wild Event. Na Prova Especial Heitor de Lima e Silva, em 1.500 metros, areia macia, principal atração da corrida do último sábado, na Gávea, o cavalo Loulé demonstrou categoria e venceu com firmeza. Direção magistral de Ilson Correa, que anda voando. Apresentação, como sempre perfeita de Cosminho Morgado, que vem colecionando troféus clássicos. Portanto, para a alegria da família Ramos, os titulares do Stud Dona Lúcia agora têm uma parelha de colocar respeito nos adversários. Ainda vale ressaltar que Leão Coroado e Ultraseven também mostraram ótima forma e correram bem.

Bilheteira ficou com os ingressos da maratona

O destaque da corrida do último domingo no Hipódromo da Gávea foi o Clássico Derby Club, em 3.500 mretros, grama macia. Última etapa da Taça Quati, vencida antecipadamente pelo tordilho Morcote, a prova reuniu apenas quatro competidores, uma vez que Illusionist foi retirado. A prova foi extremamente sem graça e cansativa para quem viu. Harry e Chuchu Beleza "brigaram" na primeira parte da maratona, enquanto Bilheteira os vigiava de perto e Morcote já vinha meio sem gás. Na reta, quando Chuchu Beleza se livrou da "perseguição" chata de Harry, a faixa deste, Bilheteira, sacou dos ingressos e passou sem luta, para vencer com facilidade. Mestre Guignoni apresentou a defensora do Stud Acqua Azul e Marcelo Cardoso teve calma e paciência para garantir a vitória.

Ninguém escapa do apelido

Seja aonde for, onde um grupo de pesssoas passa a conviver, não tem jeito. O apelido vem com a maior naturalidade. Na escola, no ambiente de trabalho, na roda de amigos, na praia, enfim, em qualquer lugar, tem sempre algum engraçadinho que coloca apelido em todo mundo. Um dia a casa cai e ele acaba recebendo o dele também. Existem apelidos que, realmente, são perfeitos e ficam marcados pro resto da vida. O saudoso Washington Luiz de Oliveira era um "mestre" dos apelidos. Lembro que, há muitos anos, um jovem amigo da gente, que frequentavas as corridas e os matinais, ganhou um apelido colocado pelo Washington que entrou pra história. O nosso chapa, cujo nome não vou revelar, era branco e louro demais daí virou "Omelete". Mas existem outras "alcunhas" que, pra mim, não tem nada a ver. Esta semana soube que o talentoso aprendiz Vagner Borges já foi "batizado" mas discordo totalmente da semelhança. Olhem as fotos e confiram se não estou certo.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Os costumes são a hipocrisia de uma nação" (Honoré de Balzac)

Rapidinhas

Vitória maiúscula do turfe brasileiro (mais uma) na Argentina, desta vez através do incansável Mr.Nedawi, máquina na pista de areia. Venceu o GP Dardo Rocha, maior prova do turfe em La Plata e importante etapa do calendário clássico portenho. Parabéns à toda equipe e a Ricardo Vidigal a quem tive o prazer de conhecer no dia do GP Brasil deste ano.

Aniversaria neste dia 26 o nosso amigo Rogerinho Gadelha. Tem uma memória privilegiada e sempre lembra a todos de muitos detalhes. É um arquivo vivo. Rogério, que agora mora no interior de Minas, está organizando uma grande festa para comemorar meio século de vida. Parabéns ao amigo.

Ninguém questiona a capacidade profissional do treinador Venâncio Nahid, tricampeão do GP Brasil e vencedor das provas mais importantes do calendário nacional. E nem é preciso ficar lembrando isso, mas é sempre bom ressaltar mais uma fase fantástica do Neném. Tem vencido com frequência e vai dar muito trabalho na estatística desta temporada. Seus animais estão sempre muito bem apresentados.

Costumamos sempre ressaltar grandes direções, apresentações perfeitas de treinadores mas muitas vezes esquecemos do trabalho incansável dos veterinários. E o "time" do turfe carioca é de primeira linha. Cada conversa com qualquer um deles é sempre construtiva e serve de aprendizado.

Neste fim de semana a maior festa do turfe pernambucano com a realização do GP Bento Magalhães. Desejo sucesso aos apaixonados turfistas nordestinos e em especial a meu amigo Serginho Paiva.

A equipe do Stud Estrela Energia já começa a colher frutos no Oriente Médio. Bruno Reis venceu a primeira e neste meeting que vai até março, a coudelaria vai brilhar, podem anotar.

Jean Pierre se recupera de cirurgia no ombro. Ao amigo, pronto restabelecimento e um retorno breve.

Para a tristeza geral das outras três torcidas, o Flamengo passou (meio no sufoco) pelo Guarani e praticamente garantiu a permanência na primeira divisão. É pouco, eu sei, mas pelo menos não vamos alegrar o Natal dos que odeiam a nação rubro-negra. Ano passado tiveram que aturar o título.

O MATUNGÃO VIBROU

Semana passada, como sempre faço, escrevi a coluna na segunda-feira pela manhã, antes da corrida do feriado. Portanto, sem assistir a realização do GP Proclamação da República, em Cidade Jardim. Por esta razão, não comentei a vitória de Armas e Flores sobre Desejado Thunder. São dois corredores excepcionais e voltarão a se encontrar. A Gávea já foi o "Recreio de Bandeirantes" por um tempo e os cavalos do Rio já fizeram a festa em Cidade Jardim várias vezes. De parabéns os vencedores. Ao amigo Nilson Lima, um abraço especial pela conquista. Ivaldo Santana, que conheço desde os tempos em que ia trabalhar cavalos no Brejal e tinha medo do barranco, correu Desejado Thunder como tinha que fazer. É um ótimo jóquei. Aos titulares do Stud Farda Vencedora, os méritos pela belíssima vitória.

O MATUNGÃO ONLINE

Sempre fui avesso a esta coisa de passar horas na frente do computador. Já basta o tempo que fico trabalhando no jornal (as vezes sinto falta da máquina de escrever). Minha sobrinha que, há tempos dorme abraçada com o notebook, vivia me incentivando a entrar nestas tais de redes sociais. Sempre relutei. Mas é difícil resistir. Foi minha perdição. Antigamente, em casa, pela manhã, apenas lia os e-mails e as notícias. Fim de papo. Agora, após estes dois procedimentos, é Orkut, Facebook, Msn, Tweeter e sei lá mais o que. E à noite, aí é que a coisa piora. Fico jogando buraco online com um monte de gente doida até de madrugada. Vou procurar um VCA (Viciados em Computadores Anônimos)...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Fast Feet vence e Fernandes

Entra para a elite dos pilotos

O GP Frederico Lundgren, do Grupo III, em 1.600 metros, grama pesada, foi o destaque da programação do último domingo no Hipódromo da Gávea. Campo equilibrado e apostas divididas. Davignon foi um favorito de 2,80 enquanto Fast Feet e Godsmustbecrazy dividiam o segundo favoritismo, ambos com rateios de 3,30. Após uma ilusão de que o pilotado de Luiz Duarte levaria a melhor, na altura dos 300 metros finais, surgiram Fast Feet (por fora) e Davignon (por dentro) e decidiram a parada. Melhor para o de fora, conduzido com a tranquilidade de sempre do garoto Henderson Fernandes, que alcançou seu primeiro êxito em prova grupada. Da tradicional farda de Roberto Gabizo de Faria, o ganhador foi apresentado pelo craque Venâncio Nahid, em mais uma semana de ótimos resultados. A grama pesada, com cerca móvel de 12 metros, não proporcionou a Fast Feet registrar uma boa marca.

Sugestão aos rivais: "Calma que esse páreo é meu"

Na chuvosa tarde de sábado, na Gávea, foi disputada a Prova Especial Mossoró, em 1.300 metros, grama pesada, com campo atraente. Muito bem dirigido por Marcos Mazini (está voltando, com muita garra) o alazão Sugiro venceu uma bela carreira, resistindo nos metros finais ao forte arremate de Gorino. Apresentado em ótima forma por Venâncio Nahid, o "cara branca" do Stud Bons Companheiros obteve a quinta vitória da campanha, composta por 17 apresentações. Filho de Suspicious Mind e Opus Quatro, criado pelo Haras São José da Serra, Sugiro obteve a terceira conquista clássica. Tibetian, do Stud Interbúzios, também deixou boa impressão.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Quem inventou o trabalho, não tinha o que fazer" (Barão de Itararé)

Rapidinhas

Romar Barros, com poucas oportunidades no turfe carioca, seguiu o caminho do aprendiz Dayverson Barros e se mandou para Dubai. Ao lado do aprendiz e de Bruno Reis, está trabalhando no Oriente Médio e, nas horas vagas, vai curtindo as belezas locais.

É muito querido por todos o aprendiz Henrique Merenciano de Oliveira, o popular "Vassourinha". Expert no cavalo Direito, do Haras Deserto, o menino alcançou, ao ganhar com o veloz corredor, na última sexta-feira, quinta vitória da carreira, passando à terceira categoria. No dia seguinte venceu outra, com Ricrut Famous. Torcemos por ele.

Por falar em aprendiz, no domingo o mais novo do time, Vinicius Ribeiro, conquistou a primeira vitória dando ótima direção em Trouble Girl, que venceu com forte atropelada.

Exerci, por longo período, ao mesmo tempo, as funções de treinador de cavalos de corrida e jornalista. Posso garantir que é bem complicada essa dualidade profissional.

Vale a pena ressaltar os resultados do Haras Belmont, que frequentemente apresenta seus defensores na Gávea e em Cidade Jardim com muito sucesso. Radicado no Paraná, o criador e proprietário não perde a viagem. Estão de parabéns todos os membros da equipe.

Recuperado de um problema de saúde, Natan Pacanowisk retornou ao trabalho na TV Turfe para a alegria de seus amigos e fãs. Ao amigo, bom retorno e boas indicações, com sempre.

Se as coisas continuarem assim, o Luxemburgo vai acabar dando a maior alegria de todos os tempos para os torcedores dos demais clubes cariocas, que odeiam o Flamengo.

O MATUNGÃO VIBROU

Na verdade não é culpa de ninguém, mas desde há muito, vem acontecendo a banalização da palavra amizade. As pessoas falam sempre que um amigo ligou, um amigo isso ou aquilo. Mas, na realidade, amizade é coisa séria. Desde que comecei no turfe, e lá se vão quase 40 anos, passei a frequentar a cocheira do treinador Walter Pedersen. Tanto "seu" Walter quanto Dona Célia, sempre me trataram com o maior carinho do mundo. Há quatro décadas foi plantada a semente de uma amizade verdadeira e floresceu. Por isso vibrei muito com a vitória da égua Amor, no primeiro páreo de sábado, com a farda do Stud Cairo, cujo titular é "seu" Walter. Ah...o Junior Mala? Veio de contrapeso...

O MATUNGÃO AVISA

O que me zoaram quando comprei um cavalo de 8 anos, foi um espetáculo. Mas como diz a letra daquela música, "Não tô nem aí". Fama de maluco eu sempre tive mas, minhas maluquices acabam dando certo. Pois bem, o cavalo chegou de Sampa e o inscrevi. O páreo estava forte e ele fechou a raia, de forma absoluta. Paramos por 30 dias e tiramos um pouco da graxa (achei que estava acima do peso). Enfim, está inscrito para correr na próxima segunda-feira e volta com um bom trabalho. Portanto, quem avisa, amigo é. A gente espera uma corrida muito melhor nesta oportunidade. Ah, o nome do cavalo é Inocêncio...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na intetnet.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Ela vence uma, vence duas, vence

Três mas ninguém acredita. É mole?

O que faz do turfe um esporte emocionante e intrigante são coisas assim como as que envolvem a égua Suck Out Queen, vencedora de forma espetacular do GP Mariano Procópio, do Grupo III, em 1.600 metros, grama pesada, atração do último sábado no Hipódromo da Gávea. Apresentada em ótima forma pelo craque Neném Nahid e recebendo ótima direção do "Ice Boy" Edson Ferreira Filho, a alazã ganhou bem. O que acho interessante a respeito desta filha de Red Runner, de Adalberto Ribeiro, é que ela segue vencendo e ninguém acredita. No dia 7 de setembro faturou uma prova especial com rateio de 28,70 por 1. No dia 12 de outubro, outra prova especial, agora com pule de 13,00 por 1. No sábado, a primeira vitória em Grupo III e mais uma vez com rateio elevado. Acho que ela está precisando bater um recorde para que os apostadores cofiem mais...Parabéns aos vencedores e que aumentem as prateleiras para colocar as taças.

Quem foi que disse que ele não corre na grama?

Ainda na chuvosa tarde de sábado foi disputado o Clássico Justiça do Trabalho - 1ª Região, em 2.000 metros, grama pesada. Campo interessante e, para a surpresa de muitos, a participação de Sanduka, do Stud Dona Lúcia. Máquina na pista de areia, muitos turfistas se perguntaram há algumas semanas, qual a razão do filho de Wild Event não ter sido inscrito no GP Bento Gonçalves, onde seria uma barbada de meia légua. A resposta foi publicada em alguns sites: o proprietário decidiu mantê-lo no Rio. Craque na pista de areia, o veloz corredor não havia corrido bem na minha e meia gramada. Daí virou lenda o fato de que na grama não era o mesmo. No sábado, com seu piloto habitual, Marcelinho Almeida, o pensionista de Cosminho Morgado "triturou" os adversários para a alegria de seu proprietário e da família Ramos. Um show na raia. Pois é, lendas se desfazem...

Tavenna quando engrenou, passou de viagem

Como o domingo ficou reservado para a festa do turfe gaúcho, todas as atrações clássicas ficaram mesmo para a programação do último sábado, na Gávea. Além das carreiras vencidas por Suck Out Queen e Sanduka, foi disputada a Prova Especial Bucarest, em 1.000 metros, grama pesada. No momento da largada, São Pedro acabara de abrir totalmente as torneiras e caía um dilúvio. O locutor adorou, pois só enxergava uma cortina de água. O boné amarelo de Indian Tiger, faixa do Haras Anderson, ajudou muito na primeira parte do percurso, pois a pensionista de Adélcio Menegolo liderou boa parte. Mas na altura dos 300 metros finais, deu bem para perceber a farda do Stud Palurape vindo como um tufão por fora e passando de viagem para a ponta. Era Tavenna, que venceu com autoridade, dirigida por Henderson Fernandes. Apresentação nota 10 de Manoel Renato Lopes. Vale registrar a ótima atuação de Fleurs Day.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Um dia sem rir é um dia desperdiçado" (Chaplin)

Rapidinhas

Na corrida de sexta-feira foi disputada a Prova Especial Nelson Pereira, em 1.400 metros, areia. A prova teve uma chegada espetacular e perto do disco, três competidores brigavam cabeça à cabeça. O ganhador foi Olympic Hawk, em direção espetacular de Dalto Duarte. Field of Honour formou a dupla, com Scrittore na terceira colocação.

Apesar das fortes chuvas que caíram no sábado, a Comissão de Corridas foi bastante criteriosa e só mudou a raia após a realização das três provas da programação clássica.

Os aprendizes da Gávea continuam conquistando muitas carreiras para a alegria do Mileno e do Machadinho. Além do Henderson Fernandes, que lidera a estatística, venceram provas Vagner Borges (cinco na segunda-feira), Carlos Henrique, Antônio Ferreira Matos, Igor Gaier e Leandro Costa. Pois é, são os "Meninos do Jockey" brilhando cada vez mais.

A grama pesada não estragou a bonita festa do Derby paulista. Vitória convincente do potro Xin Xu Lin, montando pelo Antônio Correa da Silva, nosso velho conhecido. Gostei demais da atuação de Energia Cósmica que deu ótima impressão e cansou nos metros finais. Vai longe esse potro do Givanildo Duarte. É muito corredor.

Mais um novo blog na área, comandado por gente jovem. Trata-se de "Doutores do Turfe". Tem muitas informações, indicações e artigos interessantes. O corintiano Kelvin é um dos doutores. É a renovação que se faz necessária. Vale a pena conferir. O endereço está aqui no blog, em links.

O Vanderlei Luxemburgo é um tremendo Professor Pardal e a cada jogo inventa um ataque novo para o Flamengo. Vai acabar é provocando um "ataque de nervos" nos torcedores.

Já estão querendo de novo trazer a CPMF. Por que é que na campanha eleitoral ninguém falou nisso? Pois é, agora segurem a barra. E vem mais chumbo grosso por aí.

O MATUNGÃO VIBROU

Esta semana eu e meu amigo Luiz Urubatan Carlos fizemos uma pequena inversão na escala de trabalho e folguei nas corridas de quinta e sexta para transmitir sábado e segunda. Mesmo de folga estive no hipódromo. Na corrida de sexta assisti a bonita vitória de Paint of Joy, em forte atropelada, muito bem dirigida por Valdinei Gil. A ganhadora é de propriedade de José Lírio Aguiar, que veio ao Rio esta semana e me convidou para a foto da vitória. Além de prestigiar o comendador, amigo de longa data, ir ao winner's circle e ficar ao lado de uma farda rubro-negra é sempre motivo de festa. O mestre Alcides Morales apresentou Paint of Joy em forma espetacular.

O MATUNGÃO E O BENTO

Muito bonita a festa do GP Bento Gonçalves, com casa cheia e movimento de apostas além da expectativa. Na carreira principal levou a melhor o cavalo Quanto Mais, muito bem dirigido por Francisco Leandro e apresentado em forma soberba por Marcos Vinicius Lanza. Se não me engano ele foi vendido no leilão do Léo Friedberg, no dia 13 de outubro. Antes, pertencia ao Stud Champions Spirit. Foi mantido no Paraná para correr o Bento Gonçalves e talvez và a outro Bento, o Magalhães. Mas isso é apenas um "achismo" do matungo. Mas voltando à festa gaúcha, foi emocionante a entrevista dada por Jorge Ricardo à TV Turfe. Craque nas pistas e na vida. Valeu Jorginho...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Já estava mais que na hora de

Hostellerie vencer prova clássica

O GP Marciano de Aguiar Moreira, do Grupo II, em 2.400 metros, grama pesada, foi a principal atração da corrida do último domingo no Hipódromo da Gávea. Com justiça, a vitória pertenceu a Hostellerie, de Fazenda Mondesir, muito bem dirigida por Marcos Mazini. A ganhadora foi apresentada pelo craque Dulcino Guignoni, que em razão de uma crise renal, asisstiu à vitória pela televisão e não pôde comparecer ao pódio para receber seu justo troféu. Numa chegada eletrizante, Time To Fly e Inchatillon empataram na segunda colocação. A ganhadora, por Know Heights e Eighth Green (Green Dancer)obteve a segunda vitória (primeira clássica) em 15 apresentações. Obteve, ainda, inúmeras colocações em provas de Grupo. O tempo da prova foi 2m32s12. A carreira somou pontos para a Taça de Prata.

Sem qualquer vergonha, potro do Alvarenga vence firme

O Clássico Ernani de Freitas, em 1.600 metros, grama, foi o destaque da programação de sábado no Hipódromo da Gávea. Prova destinada a potros de 3 anos, tinha no campo bons corredores, embora nenhum dos expoentes da geração. No alinhamento, Sassaricando aprontou, derrubou o jóquei e acabou disparando, sendo retirado da competição. Na carreira, uma vitória firme de Unshamed (sem vergonha, em português), muito bem dirigido por Dalto Duarte, em tarde de glória. Mais uma apresentação nota 10 do Alemão no potro do Stud Alvarenga, que continua colocando mais e mais prateleiras em casa para guardar os troféus das vitórias clássicas. Vincent, que parece render mais na pista de areia, fez ótima apresentação. O ganhador, filho de Signal Tap, foi criado pelo campeoníssimo Haras Santa Maria de Araras.

Mil vezes Dalto Duarte

O último sábado, sem dúvida, vai ficar marcado na vida do jovem Dalto Duarte, que nos últimos tempos vem coroando de êxito sua curta e brilhante carreira. Após vencer a estatística de jóqueis da temporada 2009/2010, ganhou este ano o GP Brasil (sonho maior de todo piloto), conduzindo o cavalo Moryba. Na programação do último dia 30, conduzindo a égua Aricanduva, o profissional alcançou a milésima conquista, demonstrando sua inquestionável capacidade. Tímido, comemorou com tranquilidade, mas recebeu o reconhecimento do público e de colegas de profissão. Na reunião ainda venceu mais cinco páreos. Sucesso merecido para um profissional dedicado, que vem superando com garra os problemas de peso e, na raia, consegue aliar técnica e vigor físico, de forma equilibrada. Não se deve esquecer do trabalho de Paulo Mileno, seu agente de montarias, sempre alerta e escolhendo as boas oportunidades. Parabéns!

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"O falso é às vezes a verdade de cabeça para baixo." (Sigmund Freud)

Rapidinhas

Muita comemoração no Sul pela vitória firme de Escorpião Rei no último páreo de sábado. Meu amigo Xandy e família vibraram muito. Apresentação perfeita do craque Darci Mineto e direção correta do bom jóquei Marcelo Soares. Xandy ficou tão empolgado que vai comprar um video game novo pro Mateus.

Fotos em sites de relacionamento mostram que Bruno Reis e Dayverson Barros estão descobrindo as maravilhas de Dubai. Eita vida difícil essa...

Domigo será realizada a maior festa do turfe gaúcho e na Gávea não teremos corridas, assim como aconteceu no dia do GP Paraná. Corredores do Rio estão inscritos nas provas clássicas e muitos profissionais estarão presentes. Como grandes atrações, o campeão Jorge Ricardo e o novo ídolo da Gávea, Henderson Fernandes. Imperdível!

Na sexta-feira uma coincidência que alegrou meu amigo Luiz Edmundo Cardoso Barbosa, titular do Stud Capitão. Dois filhos da reprodutora Nativity, criados por ele, venceram. Dearest Nativity e Ejector Talk. E a égua vai a leilão no dia 10, cheia do garanhão Shirocco. Grande atração.

Na última semana o blog do matungo ultrapassou os 14.000 acessos e isso é motivo de muita alegria. A todos os amigos que nos aturam, prestigiando semanalmente este espaço, meu mais sincero e carinhoso muito obrigado.

O Fluminense, a exemplo do que ocorreu com o Flamengo, ano passado, está com sorte de campeão. Se perde, os adversários diretos também perdem. Se empata, a mesma coisa. Apesar de alguns chatos de galocha, tenho inúmeros amigos tricolores e não vou ficar "tão" chateado se eles levarem o título.

E para complicar ainda mais a história, morreu mais um na novela. Quer saber, vou é parar de ver essa baboseira. Enjoei. Mas continuo querendo saber quem matou o Saulo...

O MATUNGÃO VIBROU

Fase é fase e ninguém escapa disso. Em qualquer profissão, o trabalho árduo, a dedicação e o envolvimento são prerrogativas indispensáveis para o sucesso. As oportunidades também são fundamentais. Mas voltando ao início do tópico, repito que fase é fase. Quando ela é boa dá tudo certo, mas quando o momento é difícil, precisa-se de muita força de vontade para dar a volta por cima. Escrevo tudo isso para afirmar que vibrei muito com a vitória de Marcos Mazini no GP Marciano de Aguiar Moreira, domingo passado. O piloto já foi badalado, já foi criticado, passou por momentos difíceis e recentemente perdeu um contrato importante. Mas, apesar de tudo, continua sendo um jóquei diferenciado, com qualidades inquestionáveis. Parabéns pela vitória e que outras mais venham.

O MATUNGÃO APOLÍTICO

Me desculpem, mas este tópico não tem nada a ver com turfe. Sempre me considerei um homem apolítico. Tinha 9 anos de idade quando estourou a revolução de 31 de março de 1964. Vivi minha adolescência numa época de ditadura militar, convivendo com notícias sobre censura, prisões, DOE-COD, DOPS e outras barbaridades do gênero. Acompanhei a campanha pelas Diretas Já e sofri (sem drama) com a morte prematura de Tancredo. Vivi a terrível era Collor e a inflação galopante (tem turfe sim...viu). O Brasil mudou, mas nada foi tão importante para essa mudança que o Plano Real. Enfim, nos dias 3 e 31 de outubro exerci meu direito democrático e votei nos dois turnos, mas no domingo à noite me lembrei de uma frase, que alguém disse certa vez: "Cada povo tem o governo que merece"...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Desejada Duda mostra categoria e

Vence mais uma prova clássica

Depois de uma campanha explêndida, com vitórias convincentes, Desejada Duda não pareceu a mesma ao abordar a distância de 2.000 metros. Mas nada que apagasse a campanha anterior, quando demonstrou superioridade absoluta na geração. No último domingo, abordando a milha do Clássico Octávio Dupont, a filha de Gilded Time voltou a mostrar a grande categoria e venceu de forma convincente, sem dar chance às adversárias. Sempre muito bem apresentada por Júlio Cezar Sampaio, a defensora da Coudelaria Alvarenga Desejada contou com direção muito consciente e tranquila por parte de Dalto Duarte. Jardim Printemps, mostrando evolução constante, atropelou para formar a dupla. A registar, ainda, a ótima apresentação de União Fatal, que mesmo largando por fora de todas, liderou a prova por boa parte e ainda obteve a terceira colocação. É boa potranca esta defensora do Araras.

Chuchu Beleza é chegado numa maratona

A Prova Especial José Bastos Padilha, em 3.200 metros, grama, foi o destaque da programação de sábado no Hipódromo da Gávea. Dando prosseguimento à Taça Quati, a carreira teve campo reduzido e mostrou mais uma vitória de ponta a ponta, com facilidade, do cavalo Chuchu Beleza. Repetindo o que fizera em outra oportunidade, o filho de Suspicious Mind e Uvéa largou e acabou, dando mais um ponto do calendário clássico para o menino Henderson Fernandes. Apresentação, como sempre, nota 10 de Venâncio Nahid no corredor nascido e criado no Haras São José da Serra, de Sérgio Menezes e propriedade do Stud Carioca da Gema. Parabéns aos vencedores. Em tempo, somados os pontos, o vencedor da Taça Quati foi Morcote, do Stud Araré, que na prova deste sábado foi o terceiro colocado.

Um presente para guardar com carinho

Edu Coimbra, ou Eduzinho, brilhou durante anos com a camisa do América Futebol Clube. Jogador diferenciado, como os irmãos, deixou sua marca no time do Andaraí. Depois foi técnico e correu o mundo. O que talvez poucos saibam é que ele é turfista e adora as corridas. Pois bem, esta semana recebi um presente do Eduzinho, uma réplica da camisa com a qual o Flamengo conquistou o Campeonato Mundial, em 1981, contra o Liverpool. A camisa tem o número 10 e veio carinhosamente autografada por Arthur Antunes Coimbra. Ou seja, Zico, meu maior ídolo no futebol. Já virou quadro na minha sala. Valeu Edu e agradeça ao "Galo" pela gentileza.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Quem mata o tempo não é assassino mas sim um suicida." (Millôr Fernandes)

Rapidinhas

Dalto Duarte está perto de alcançar a milésima vitória da carreira e será homenageado pelo Jockey Club Brasileiro. Ganhador da última estatística, vem cuidando do peso e é, sem dúvida, um jóquei de inquestionável qualidade. Que cheguem logo as mil vitórias e outras mais, pois merece os resultados que vem obtendo ao longo de sua trajetória no turfe.

Um grande avanço as inscrições feitas pela internet. Vi de perto o processo na última semana e me impressionei favoravelmente. Todo treinador tem uma senha, acessa o site e aparece na tela a relação de seus corredores e todos os detalhes. Gostei do que vi. Tecnologia.

Está chegando o GP Bento Gonçalves, maior festa do turfe gaúcho. Assim como aconteceu no dia do GP Paraná, o Jockey Club Brasileiro não realizará corridas. Henderson Fernandes e Marcelo Cardoso, entre outros do turfe carioca, estarão presentes. A festa acontecerá no dia 7 de novembro.

Neste domingo todo brasileiro deve comparecer às urnas para eleger o novo presidente do país. É um dever cívico que lutamos muito para conseguir. É nossa responsabilidade escolher o futuro. Cada um com sua convicção deve estar lá.

O alazão Bizão do Sul obteve a terceira vitória consecutiva e desta vez ganhou com incrível facilidade. Pelo visto vai seguir vencendo. Aliás, a semana foi muito proveitosa para o Stud Amigos da Barra, do Mauro e do Bruno.

O nosso Brasileirão continua emocionante, tanto na parte de cima, dos candidatos ao título, quanto lá embaixo, na briga pra não cair. Ninguém ousa apontar um campeão ou mesmo os quatro que irão pra segunda divisão. E quem disse que o Washington não faz gol...

O MATUNGÃO VIBROU

Conheci o titular do Stud Cafelândia, rapidamente, há alguns meses, através do Paulo Gama. Mas, de verdade, tenho vibrado com o resultado que a coudelaria vem conquistando. Não apenas pelo Paulo, meu amigo há mais de 30 anos e diretamente ligado ao stud (é supervisor e agente do contratado Vagner Borges) como também pelo fato de alguns corredores serem treinados por Dona Ju. No sábado foram duas vitórias na Gávea e uma em Cidade Jardim e no domingo, mais uma no Rio. É muito bom ver um proprietário investir e conseguir bons resultados. Isso mantém acesa a paixão pelo turfe.

O MATUNGÃO NA DÚVIDA

O noveleiro da equipe sempre foi meu amigo e irmão Luiz Urubatan Carlos, que não perdia um capítulo sequer da última novela das 8. Sempre "zoei" com ele por causa disso e afirmava que novelas deixam as pessoas alienadas. Enfim, mas como dizia com propriedade a minha saudosa e querida avó, "Língua que fala, paga", vocês nem imaginam o que está acontecendo. Certo dia uma amiga ligou e me chamou de Totó. Fiquei indignado, pois Totó é nome de cachorro. Aí ela me explicou que era o personagem do Tony Ramos. Fiquei curioso e fui conferir. Agora fico na maior ansiedade para saber: "Quem matou o Saulo"...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Kito Show, quer dizer, Hope

Dá um galope largo em Grupo II

O GP Salgado Filho, do Grupo II, em 1.600 metros, é a prova de maior graduação em pista de areia no calendário clássico carioca. E a carreira, destaque na progamação em homenagem à Aeronáutica, foi disputada no último domingo no Hipódromo da Gávea. Reaparecendo de uma ausência de cinco meses, o cavalo Kito Hope deu um verdadeiro show na raia. Recebendo ótima direção de Jean Pierre, o defensor da jaqueta de Sergio Barcellos, venceu com rara facilidade, assinalando a marca de 98s21, pouco comum nos últimos tempo no turfe carioca. Apresentação nota 10 do jovem Ildefonso Felipe de Souza. Em pista de areia é complicado bater este filho de Shudanz e Kate Vanilla, criado pelo modelar Haras San Francesco. Ainda merece destaque a bela performance de Leão Colorado, muito bem conduzido pelo menino Henderson Fernandes.

Dobradinha do Stud Alvarenga no sábado

A Prova Especial João e Jorge Jabour, em 1.200 metros, areia, foi o destaque da programação de sábado no Hipódromo da Gávea. Numa chegada emocionante, levou a melhor Lady Beauty, marcando a primeira vitória em prova do calendário clássico de Henderson Fernandes. Atropelando, dominou Desejada Normand, companheira de farda e que também fez ótima corrida. As duas primeiras colocadas pertencem ao Stud Alvarenga e a ganhadora foi apresentada pelo treinador Julio Cezar Sampaio. Aracelia voltou a correr bem, depois de alguma atuações fracas. Mais uma dobradinha do stud que coleciona conquistas clássicas em sua trajetória.

Os "Meninos do Jockey" seguem brilhando

Não há como contestar que Henderson Fernandes segue sua trajetória para ocupar o posto de ídolo do turfe carioca. Continua dando ótimas direções e mantendo a liderança da estatística. Mas, os demais aprendizes têm mostrado um desempenho bastante significativo, com direções de "gente grande". No sábado, brilhou Vagner Borges (foto) com quatro vitórias, obtidas com direções perfeitas. No domingo, Carlos Henrique ganhou um bonito páreo com Lady Chapel. E o Antônio Ferreira Matos e o Adilton M.Silva também venceram com direções precisas. Portanto, os jóqueis que se cuidem, pois a garotada tá aprontando.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Acreditar em algo e não o viver é desonesto" (Ghandi)

Rapidinhas

Alguns páreos na Gávea têm sido disputados como as canchas retas, as pencas, tão famosas pelo interior do país. Não importa a distância, pois dois pilotos largam com o pé embaixo, fazendo questão da ponta de qualquer maneira. O resultado é sempre o mesmo. Os "penqueiros" morrem na fase decisiva. Vai saber...

Muito bom o resultado do leilão de animais em treinamento da Pro Horse, realizado na semana passada no tattersall de Cidade Jardim. Compradores de vários estados brasileiros e do Uruguai marcaram presença. Até o matungo aqui comprou um potrinho de 8 anos...

Já está na Escola de Profissionais do Turfe o jovem indicado por Marcos Mazini, procendente do Mato Grosso, com experiência em canchas retas. Segundo o professor José Machado e o administrador Paulo Mileno, o novo aluno leva muito jeito e logo logo deverá receber matrícula. Mais um reforço para o time dos Meninos do Jockey.

A excelente e invicta Sweet Roar foi vendida pelo Stud Jife à Coudelaria Jessica e passou aos cuidados do treinador Júlio Cezar Sampaio. Deverá correr algumas vezes antes de seguir para a reprodução.

Que me desculpem meus amigos colorados, mas dar um chocolate de 3 a 0 nos campeões da Libertadores é motivo de grande satisfação. O Campeonato Brasileiro está empolgante e fica difícil apontar um favorito ao título.

O MATUNGÃO VIBROU

Vibrei de verdade com a eleição de Octávio José Ferreira da Silta, o Tátá, titular do Stud Santiago de Compostela, como presidente do Jockey Club de Campos. Lembro muito bem, desde meu início no turfe, das tradicionais corridas no Hipódromo Linneo de Paula Machado, às terças-feiras. Radinho de pilha ligado curtindo as narrações do saudoso Oscar Vareda. Campos sempre foi uma grande opção para os proprietários cariocas e revelou grandes profissionais. Tenho certeza de que, com Tatá, o turfe campista vai reconquistar o espaço que sempre teve no cenário turfístico nacional. Parabéns pela vitória.

O MATUNGÃO NA PILHA

O turfe sempre foi a paixão maior e no universo deste tão emocionante esporte fiz quase tudo. Só não fui jóquei pois a natureza não permitiu. Sempre que tive condições, mantive um ou dois cavalinhos defendendo a farda rubro-negra. Como disse bem o gênio Francisco Anysio de Paula, passar na frente é uma coisa única, como dor no rim. Há pouco mais de um ano, Normand King, Japyhara e Cascoxa passaram na frente e me deram enorme alegria. Fiquei quase um ano sem ver a farda na pista, mas esta semana ela deve voltar com um corredor que adquiri recentemente. Já estou na pilha...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Feriadão com muito sol faz

Brilhar uma energia do cosmos

A programação do feriado de terça-feira, Dia de Nossa Senhora Aparcida e também Dia da Criança, foi um sucesso. O tempo ajudou e foi muito bonito ver o hipódromo receber inúmeras famílias, com as crianças se divertindo a valer. Foram 11 páreos na grama, e destaque para o GP Linneo de Paula Machado, o Grande Criterium. A carreira marcou a vitória espetacular do potro Energia Cósmica, do Haras Estrela Energia, com direção perfeita de Ilson Correa. Derrotou uma valente Olympic Message, que desafiou os machos e fez um corridão. Apresentação nota 10 do treinador Givanildo Duarte, que já é uma realidade no turfe. Ainda na reunião a Prova Especial Dia da Criança, com vitória fácil de Suck Out Queen, com o excelente Dalto Duarte. Treinamento do craque Neném Nahid e propriedade do Stud Santo Antônio da Posse, de Adalberto Ribeiro. A nota triste da prova foi o sacrifício da excelente Nice Black, que mancou seriamente no percurso.

Mostrando evolução, Talk Back vence com firmeza

Sem prova clássica programada, a corrida do último domingo, no Hipódromo da Gávea teve duas boas atrações. Na Prova Especial Gustavo Phildelpho de Azevedo, em 1.400 metros, grama macia, uma bonita vitória do cavalo Talk Back, muito bem dirigido por Marcelo Cardoso. Veio na hora certa e aparou o arremate forte de Fast Feet. De parabéns o treinador Alvaro Castillo, que apresentou o filho de Confidential Talk em excelente forma. Para os mais jovens, o homenageado foi titular do Haras Rio dos Frades, que me trás uma grata lembrança, pois foi o criador de Piccadily Circus, uma filha de Estentor e Gwyne Place, cuja campanha iniciei e com a qual venci lindas corridas para os amigos Tomaz e Marcelo, nos idos de 1983. A tordilha, após a quinta conquista foi vendida para o Haras Basano.

Um Foguete confirmou o grande favoritismo

A outra atração da corrida de domingo, na Gávea, foi a Prova Especial African Boy, em 1.000 metros, grama macia. Grande favorito do público, com inteira justiça, Um Foguete simplesmente largou e acabou, sem dar trabalho ao Ilson Correa, que caprichou para fazer o peso. Apresentação nota 10 de Adélcio Menegolo, o que é uma rotina nos defensores do Haras Anderson. Empolgante foi a disputa pelo segundo lugar entre Barão de Piatã e Uniboy Di Job, com vantagem mínima para o primeiro. A registar a ousadia de That's Now, que ponteou até os últimos 400 metros, encarando a fera de frente.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Viver é desenhar sem borracha" (Millôr Fernandes)

Rapidinhas

Sempre exalto neste espaço o excelente nível da atual safra de aprendizes do turfe carioca. Além do fenômeno Fernandes, outros meninos têm conseguindo destaque. Agora, Vagner Borges foi contratado pelo Stud Cafelândia, para substituir TJ. É o que eu digo sempre, se tem os "Meninos da Vila" aqui nos temos os "Meninos do Jockey".

Semana passada escrevi por aqui que estava providenciando a volta da farda rubro-negra às pistas. Desde Nubeca, que foi a primeira, há muitos anos, sempre que posso gosto de ter um defensor para torcer. Não aguentei e depois de quase um ano comprei a Fera do Ka. Vamos ver no que vai dar.

Costumamos sempre destacar atuações de jóqueis, treinadores e analisar os bons resultados deles. Mas é preciso, vez por outra, lembrar do ótimo trabalho feito pelos veterinários, importantíssimos para o sucesso de uma equipe. No feriado, brilhou Flávio Carneiro, que além de ser responsável pelo atendimento a Energia Cósmica, também cuida de outros ganhadores, como os do Haras São José da Serra. Parabéns Flávio.

Costumo afirmar que sou completamente apolítico, mas ninguém pode esquecer que é ano de eleição e no dia 31 temos a obrigação de pensar no futuro do país. Após as eleições de governadores, senadores e deputados, gostaria mesmo era de dar um tremendo "Antôooooonio Nunes" em alguns dos eleitos...

Continua empolgante o campeonato brasileiro, nem tanto para os meus amigos tricolores, pois o time vem descendo a ladeira igual a menina da música do João Só. Luxemburgo faz mesmo milagres. Até o Val Baiano tem feito gol...

Escrevi semana passada que Zico foi meu maior ídolo no futebol e que fiquei decepcionado com o fato dele ter largado o barco no meio da tempestade. Mas, melhor informado, acho que ele fez mais do que certo. Zico, ninguém mancha sua história.

O MATUNGÃO VIBROU

1,2,3,4,5,6.....7 vezes Henderson Fernandes e uma bola na trave que quase marca outro recorde histórico na carreira deste menino que está empolgando até gente de fora do turfe. Igualou o número de vitórias em uma reunião, do ídolo maior, Jorge Ricardo, e por muito pouco não ultrapassa, com oito conquistas. Notícias, como as de que foi contratado pelo Stud Palurape, só ratificam o momento especial do menino, que continua humilde, tranquilo e sem marra. Seguindo assim, pode ocupar um lugar vago na idolatria dos turfistas. É bom, também, ressaltar o trabalho da Bruna Baquil, que seleciona ótimas montarias.

O MATUNGÃO NO YOUTUBE

Semana passada foi aniversário de meu primo-irmão e decidi fazer um video com clipes de músicas que a gente curtia ao longo dos anos. Fucei no youtube até dizer chega e encontrei coisas maravilhosas, como a final de San Remo de 1995, com a musica (lindíssima) chamada Come Saprei, interpretada por Giorgia. Encontrei Armando Manzanero, José José, Quincy Jones, Barry White, Christina Aguillera, Billy Paul, Zé Rodrix, Miltinho e por aí vai. Foi uma maravilha e uma volta no tempo espetacular. Meu medo maior é ficar viciado nisso. Depois de Orkut, Facebook e Msn, só me falta agora virar "Youtubeiro". Aí não durmo mais...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

No tira-teima em Grupo II

Another Xhow foi melhor

O GP Antônio Joaquim Peixoto de Castro Junior, do Grupo II, em 2.400 metros, grama encharcada, atração do último domingo, na Gávea, marcou mais um confronto entre dois corredores de categoria, que protagonizaram disputas interessantes desde o GP Brasil. Na maior prova do turfe nacional, Another Xhow foi segundo colocado para Moryba, chegando à frente de Tônemaí por pequena diferença. Depois disso, no GP Doutor Frontin, também na milha e meia, veio o troco, também por pequena diferença. Portanto, o terceiro encontro de ambos seria um tira-teima. E, mais uma vez, por pouco mais de cabeça de vantagem, Another Xhow bateu Tônemaí. Apresentação de luxo do craque Dulcino Guignoni e direção correta de Marcos Mazini. Decepção, pra mim, foi Flymetothemoon. Ponteou até a entrada da reta mas entregou cedo a rapadura. Definitivamente, a viagem frustrada para a Argentina (teve contratempo por lá) não fez nada bem ao excelente corredor do Haras Doce Vale. Parabéns ao Stud Alvarenga e aos amigos Roni e Rodrigo Schulze, tituares do Haras Truc, criador de Another Xhow.

Prato do dia: Gororoba do Ipê

Ainda lembro com muita saudade, dos tempos de infância, quando minha querida avó dizia: "Menino, vem almoçar que a gororoba está pronta". E ao contrário do que diz o famoso dicionário Michaelis, que define o termo como "comida mal feita", a gororoba da vovó era deliciosa. Após este saudoso intróito (hoje estou abusando), destaco a principal carreira do último sábado no Hipódromo da Gávea, a Prova Especial Platina, em 2.000 metros, grama pesada. Vitória firme e convincente da tordilha Gororoba do Ipê, muito bem dirigida por Ilson Correa, que não canso de repetir, atravessa a melhor fase de sua carreira. Apresentação de Dulcino Guignoni dispensa comentários. Parabéns aos vencedores.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Sonhar é acordar-se para dentro" (Mário Quintana)

Rapidinhas

Recebi muitas manifestações pelos meus três anos de TV Turfe, comemorados na última segunda-feira e gostaria de agradecer a todos os amigos que mandaram mensagens, via Orkut, Facebook e emails. Valeu pela força gente, de coração mesmo.

A coluna de hoje está parencedo uma auto biografia, mas deixa quieto. A verdade é que não consigo passar muito tempo sem ver a farda rubro-negra na pista. Depois das grandes alegrias que tive com Japyhara e Cascoxa, estou providenciando o retorno. Só espero não passar novamente o sufuco de ter que narrar páreo de cavalo meu, como aconteceu na última vitória da Japyhara. Não poder torcer dá nos nervos...

Ta vendo, mais um assunto ligado "a minha pessoa" (rss). Queria agradecer ao titular do Stud Marisa Star pela referência que fez à minha narração do páreo, na Revista Turf Brasil, na foto homenagem da vitória do cavalo Navajo Hurricane.

Na última sexta-feira, na cocheira do treinador Túlio Penelas, churrasco em comemoração pela vitória da craque Sweet Roar no GP Costa Ferraz. Dudu, como sempre, uma simpatia como anfitrião, ao lado de seu pai, seu tio (Marquinho, chapa de muitos anos) e amigos. Responsável que sou, pois tinha que narrar, tomei apenas Coca Zero.

Meu amigo Tiago Josué Pereira está partindo para mais uma aventura fora do país. O nosso "Indiana Jones" tem tudo pra brilhar em Macau. Toda sorte do mundo pra você TJ.

Zico foi meu idolo como jogador e continuará sendo. Mas essa largada do barco na hora da tempestade me decepcionou. E o Silas hein? É do time do "Eu venço, nós empatamos, eles perdem". Triste.

O MATUNGÃO VIBROU

Fiquei feliz com a vitória do cavalo Marcos Rei na corrida da última sexta-feira. No meio da programação, como sempre faço, desci à repesangem para comer meus dois pastéis com mate, na cantina comandada pelo Gelson. Na oportunidade estava o treinador Luis Marcelo Quintas que pediu que eu caprichasse na narração, pois no dia seguinte seria seu aniversário e o cavalo tinha muita chance de vitória. Deu tudo certo, o cavalo venceu com ótima direção do Correa e o Marcelo comemorou bastante. São coisas assim que fazem a gente vibrar no turfe.

O MATUNGÃO RELEMBRA

Graças a Deus, fiz muitos amigos em minha trajetória no turfe e lá se vão quase 39 anos participando do dia-a-dia deste esporte emocionante. Agora, gostaria de relembrar de um amigo especial. Um cara de um talento nato para tratar cavalos de corrida e um homem simples, honesto e trabalhador. Ganhou tudo que tinha direito e me ensinou muito. Estou me referindo a Wilson Pereira Lavor, parceiro de papo e de copo e um dos maiores incentivadores que tive quando tentei a carreira de treinador. Conheci Geovani (C.Lavor) ainda bem menino, iniciando na profissão. Essa lembrança me veio ao ler a notícia de que o filho do Wilson volta ao Haras Santa Maria de Araras, com cuja farda obteve grandes conquistas...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Sweet Roar mostra categoria

Leva Grupo III e segue invicta

O GP Costa Ferraz, do Grupo III, em 1.000 metros, grama macia, foi o destaque da corrida do último sábado no Hipódromo da Gávea. A carreira, destinada a éguas de 3 anos e mais idade, recebeu 11 inscrições. Confesso que ao ver o campo, logo após a divulgação das inscrições, me surpreendi com a presença da potranca Sweet Roar. De propriedade do Stud Jife, do amigo Eduardo Capitoni (Dudu), a filha de Durban Thunder havia corrido apenas uma vez, vencendo prova especial para inéditas, contra quatro competidoras. Daí a encarar uma prova de grupo, contra corredoras mais velhas e experimentadas, me pareceu uma inscrição um pouco ousada. Quando me dei conta de que a potranca treinada pelo Túlio Penelas largaria por fora de todas, fiquei ainda mais apreensivo. Mas, qual o que. A valente menina dos olhos do Dudu deu um show na raia e venceu de forma espetacular, brilhantemente dirigida pelo também amigo Marcelinho Almeida. Parabéns amigo, sua "craque" está invicta e com toda certeza lhe dará muito mais alegrias. Agora é só comemorar. Show!

Nas copas dos leilões, vitórias convincentes

Outras atrações na corrida do último sábado, na Gávea, foram as Copas Leilões JCB, em 1.600 metros, grama, para produtos adquiridos em leilões realizados no tattersall do Jockey Club Brasileiro. Na carreira das potrancas, vitória firme de Fantastica Chris, para a grande alegria de Paulo Meira, apaixonado criador e proprietário. Apresentada de forma exuberante pelo amigo Marcos Ferreira (recuperado do problema no ciático), contou com direção precisa do TJ. Na carreira dos potros brilhou Unshamed, de ponta a ponta, mostrando grande evolução, marcando mais um ponto clássico para o vitorioso Stud Alvarenga de Alvaro Novis. Pra variar, mais uma apresentação nota 10 do "Alemão". Cada dia melhor, o nosso "Ice Boy", Edson Ferreira Filho, vai acumulando provas importantes no seu curto e já brilhante currículo. Parabéns aos ganhadores. As provas tiveram dotações superiores a R$ 30 mil.

Jaburú Vip salvou a pátria local e levou o GP Paraná

Foi realizado no último domingo, no Hipódromo do Tarumã, a maior festa do turfe curitibano, com a realização do GP Paraná, do Grupo I, pela primeira vez na distância de 2.000 metros. Corredores do Rio e de São Paulo foram anotados, tornando o campo extremamente qualificado. Do turfe local a grande esperança era Jeca, do Haras Rio Iguassu, vencedor da preparatória. Mas, surpreendendo até os paranaenses, o potro Jaburú Vip largou, tomou a ponta e cruzou o disco na primeira colocação, resistindo a Landau. A raia pesada deu vantagem pela cerca externa (mais uma vez o caminho foi descoberto por Luiz Duarte) e o alazão criado pelo Haras J.B.Barros (pentacampeão da prova) chegou primeiro ao caminho das pedras. Festa bonita e casa cheia. Movimento de quase R$ 500 mil. De parabéns o presidente Roberto Hasemann e toda a diretoria. Gerson Borges de Macedo foi perfeito nas narrações e Victor, Lobinho e Edson Huck realizaram ótimo trabalho pela TV Turfe.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"Pior que tá não fica" (Tiririca, candidado a Deputado Federal)

Rapidinhas

É muito interessante assistir a uma vitória do aprendiz Henrique Merenciano de Oliveira, o "Vassourinha". Sua vibração ao cruzar o disco é incontida e isso aconteceu mais uma vez ao ganhar com Cigana Bylara, Querido por todos, muito educado e simpático, o menino já conta com a torcida dos turfistas.

A disputa pela estatística entre os pilotos está cada dia mais sensacional. O aprendiz Henderson Fernando segue na frente, com Dalto Duarte muito próximo. Ambos têm dado ótimas direções e quem ganha é o turfista carioca. A briga vai esquentar ainda mais, com toda certeza.

Meu amigo Panchito era só alegria após a vitória de Correspondente, do Stud Amigos da Barra, do Mauro e do Bruno. Treinador de qualidade inquestionável, que passou por coudelarias como os Haras Anderson e Haras das Estrelas, Marchant merece mais oportunidades, sem dúvida.

Na sexta-feira reencontrei no hipódromo o treinador Cláudio Peixoto de Almeida, o popular "Magrão". Ótimo profissional, responde pelos corredores do Stud Capitão no centro de treinamento Brejal. Animado, diz que tem um boa potrada para o ano que vem. Cláudio apresentou Emoufee em ótima forma e conseguiu uma vitória fácil. Sucesso ao amigo.

The Cyclone reapareceu tinindo e venceu de ponta a ponta, com firmeza. Não corria há nove meses, mas voltou no último furo. Mais uma bela apresentação de Bebeto e Bebetinho.

Sempre dou algum pitaco sobre futebol neste espaço, mas esta semana me recuso terminantemente a tocar no assunto.

O MATUNGÃO VIBROU

Já escrevi na coluna que, assim como no futebol, muitos craques saem do país em busca de novos rumos. E não me refiro aos corredores, mas sim aos profissionais, que brilham lá fora. Há algums semanas, falei sobre o fato de que, em compensação, conseguimos repatriar o Luiz Duarte, um verdadeiro mago das rédeas. Semana passada recebi com muita alegria a notícia de que outro grande craque será repatriado. Paulo Henrique Lobo retornará ao Brasil. Campeão por bom tempo nos Estados Unidos, o treinador voltará a trabalhar em seu pais. Vibrei com isso.

O MATUNGÃO AGRADECE

Gostaria de agradecer ao querido amigo Paulo Gama pelas gentis palavras sobre mim e a matéria de domingo (19) no Globo, sobre os aprendizes, em sua coluna na revista Turf Brasil. Quero dizer que foi meu o orgulho de ter sido convidado por ele para trabalhar no Jornal do Brasil, onde permaneci por 11 meses, até fevereiro de 1987, quando retornei ao Globo. Paulo é um jornalista experiente e de texto irretocável, dono de um humor sutil e inteligente. Grande caráter e um profissional na verdadeira acepção da palavra. E se faz necessário lembrar, sempre, que foi seu brilhante trabalho com Luiz Duarte o pontapé inicial para a atividade de agente de montarias no turfe carioca. Valeu PG...Chega!

As fotos que constam do blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Olveira e colhidas na internet.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Lembrando os tempos das parelhas

Nice Black leva clássico na milha

Nos tempos áureos do turfe, quando as grandes coudelarias disputavam as provas clássicas com uma rivalidade impressionante, haviam até torcidas organizadas. Era a disputa entre o "Lineu" a "Zélia", Rocha Faria contra Seabra e outras "guerras" no bom sentido. Naquele tempo se usavam as parelhas como armas secretas. Quase sempre os proprietários inscreviam dois animais. Um ia pro sacrifício, preparando o terreno para o outro da mesma farda. No último domingo, durante a disputa do Clássico Presidente João Goulart, lembrei-me destas "disputas" que me foram contadas. O Stud Araré tinha duas defensoras e Tauane foi para a vanguarda decididamente e impediu que Morena Matte corresse na frente, como gosta. Na reta final, quando esta dominou Tauane, recebeu a carga final de Nice Black, que passou sem luta para a ponta e venceu com firmeza. Um verdadeiro trabalho de equipe e uma legítima vitória. Alemão, como sempre, apresentou a parelha em grande forma.

Sal Grosso, fantástico, dá susto na craque chilena

Favorito do último GP Brasil, o cavalo Sal Grosso, do Stud TNT, não correspondeu. Corredor de categoria, não foi o mesmo na maior prova do turfe nacional. Dias depois, seu treinador, o campeão Venâncio Nahid, veio a público e numa demonstração de caráter e humildade, afirmou que se equivocou no treinamento do animal, deixando-o sem atuar desde o GP São Paulo e, por esta razão, faltou aguerrimento nos 2.400 metros. Pois bem, tratando-se de um treinador de altíssimo nível, confirmou a inscrição do filho de Our Emblem no Clássico Latinoamericano. A prova, disputada na última sexta-feira, tinha como grande favorita a égua Belle Watling, tida como heroína no Chile e que tem até escolta nos passeios. O que se viu foi uma atuação de gala do cavalo brasileiro, prejudicado na curva pela campeã e que lhe chegou a meia cabeça no disco. Segundo lugar com gosto de vitória. Luiz Duarte...bem, nem preciso comentar. Mais uma direção fantástica. Ao Neném, minha reverência.

Na areia é muito complicado ganhar dele

No sábado foi disputada a Prova Especial Presidente Emílio Garrastazú Médici, em 1.900 metros, areia pesada. Como já era esperado, Sanduka assumiu a liderença após a partida e não tomou conhecimento dos outros três inscritos. Definitivamente, corre muito na pista de areia e nesta raia é muito difícil de ser batido. Uma pena que o defensor do Stud Dona Lúcia não tenha o mesmo rendimento no gramado. Cosminho Morgado apresentou o filho de Wild Event na melhor forma, como sempre. Marcelinho não teve trabalho e fez um cãnter remunerado.

Frases que merecem ser lidas

Neste espaço matungo-cultural, mais uma frase que merece destaque:

"E uma vez lançada, a palavra voa irrevogável". (Horácio)

Rapidinhas

No domingo também foi disputada a Prova Especial Gualicho, em 3.000 metros, grama pesada. Mostrando grande evolução, Top Art não tomou conhecimento dos adversários e venceu com grande autoridade. Apresentação de luxo do craque Dulcino Guignoni e direção perfeita de Dalto Duarte. Agora com as cores da Coudelaria Barcelona, o alazão mostrou que será um candidato forte nas provas de fundo.

Voltou a montar na última sexta-feira, após recupera-se de um acidente na raia, o aprendiz Vagner Borges, outro bom valor da excelente safra atual. Já venceu uma bonita corrida com o cavalo Patinho Feio e deve continuar vencendo. Mais uma atração para as corridas no Hipódromo da Gávea.

Outro aprendiz que reapareceu após um bom tempo, se recuperando de fratura no braço, foi Antônio Ferreira Matos, o "Toinho", que também já venceu carreiras bonitas com Proposta Indecente e Sábado de Sol. Não me engano quando digo que a safra atual de aprendizes da Gávea é de alto nível.

O parceiro André Cunha embarcou nesta terça-feira para Curitiba e vai atuar na cobertura da festa do GP Paraná, no Hipódromo do Tarumã. Boa sorte e bom trabalho na maior festa do turfe paranaenser. A corrida de domingo será apenas por lá. Gávea e Cidade Jardim abriram mão de suas reuniões para prestigiar o clube paranaense.

Marcos Carvalho, o popular Malaio, está curtindo merecidas férias, mas sua equipe, com Chininha e Machadinho, continua o excelente trabalho no alinhamento. As partidas continuam sendo rápidas e sem complicação.

No tópico em que comentei a corrida de Sal Grosso esqueci da grande atuação de Timeo que, mesmo prejudicado, finalizou na quinta colocação, próximo. Outra atuação fantástica.

Já dizia o saudoso Nélson Rodrigues que um Fla x Flu surgiu antes do nada. Jogão no último domingo e um resultado digno de um clássico que sempre fez história.

O MATUNGÃO VIBROU

Na última semana trabalhei em matéria para O Globo sobre o aprendiz revelação Henderson Fernandes e a Escola de Aprendizes do Jockey Club Brasileiro. Conversei com o menino (tarefa árdua, pois ele quase não fala) no início da semana, Estive na escola com o fotógrafo Fernando Maia (craque do jornal) e creio que o trabalho, publicado no domingo, ficou interessante. Pois no sábado, numa programação de 12 páreos, o aprendiz ganhou seis, exatos 50% da reunião. Estou certo ou não quando digo que "O Fernandes gosta do winner's circle"?

O MATUNGÃO COMEMORA

Na corrida da próxima segunda-feira comemoro três anos como um dos locutores do Jockey Club Brasileiro. Na verdade, segunda-feira é a véspera do aniversário. Lembro como se fosse hoje daquele 28 de setembro de 2007 quando, após muitos anos sem narrar, fui incumbido de transmitir o quinto páreo. Hoje, divido as funções com meu amigo de mais de 35 anos Luiz Urubatan Carlos, há muito mais tempo no clube. Trabalhamos juntos em rádio (bons tempos) onde tínhamos que calcular rateios rápido. Um dos motivos de alegria é que trabalho entre amigos e isso facilita as coisas. Enfim, tenho orgulho de ter chegado até aqui e se Deus quiser, espero comemorar mais datas como esta...Chega!

As fotos contidas no blog são de autoria de Gerson Martins, Davi Oliveira e colhidas na internet.